O ENCANTADOR JOGO DA CAIXA-DE-AREIA

Atualizado: 21 de Jun de 2020

Criando uma ponte entre o inconsciente e o consciente através do uso da caixa-de-areia e das miniaturas buscando à totalidade da pessoa e a resolução de conflitos internos no "brincar".


Olá queridos! Vou tentar explicar neste post de forma simples e sintética como é o funcionamento do jogo da caixa-de-areia, técnica terapêutica que toca à minha alma. Espero que gostem!

"Processo natural de cura pode ser concretamente ativado em sandplay." Weinrib, E.

Como funciona a terapia do Jogo da Caixa-de-Areia?


O Jogo da Caixa-de-Areia ou Sandplay é uma técnica criada por Dora Kalff na Suíça. A proposta parte da premissa junguiana de que o ser humano tem uma tendência inata à cura e à totalidade. Ou seja, da mesma forma que nosso corpo tende à homeostase, nossa mente também também busca o equilíbrio e o desenvolvimento integral.

É uma técnica expressiva não-verbal e não-racional na qual a pessoa cria cenários tridimensionais em uma caixa-de-areia com o uso de diferentes miniaturas. É como se o indivíduo representasse na areia o seu mundo interno. Ao materializar aquele conteúdo, ele cria uma ponte entre o inconsciente e o consciente, facilitando o aparecimento de questões que precisam ser elaboradas.

São duas caixas-de-areia de tamanho padronizado, uma seca e uma molhada, e a escolha de qual utilizar é do cliente. É um jogo livre, sem regras. O importante é que exista este espaço livre e protegido para a pessoa se expressar e aceitação incondicional por parte do terapeuta de todo o conteúdo trazido.

O foco está na vivência do processo e não na interpretação do cenário. Assim sendo, o cliente não precisa se preocupar com o que está sendo exposto na areia. O analista não irá se empenhar em adivinhar as questões trazidas. Cabe ao analisando compartilhar como se sentiu durante a criação e contar a história do cenário, se quiser. Existem diversas interpretações para cada símbolo, mas ninguém saberá melhor do que a pessoa atendida o significado próprio que tem para ela.

Os cenários são fotografados após a conclusão da sessão e só após a conclusão do processo terapêutico é que as fotos são apresentadas e discutidas.


De modo bem objetivo (não sei se isso é possível em psicologia...rs) é isso. Espero ter sido clara. Qualquer dúvida, entre em contato comigo. Obrigada pela visita!

26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo